[E]migrei…

Posted: 28 Janeiro, 2014 in Portugal

Venha daí… clique.

10154902_750445931691168_4203246693692361661_n

A máfia médica

Posted: 14 Janeiro, 2014 in Portugal

A máfia médica.

Notícias

Posted: 14 Janeiro, 2014 in Portugal

Meu actual Blog

FOME em Portugal

Posted: 14 Janeiro, 2014 in Portugal

Clique aqui ou sobre a imagem

 

FOTOGRAFIA

Posted: 14 Janeiro, 2014 in Portugal

iGalerie – FOTOGRAFIA

Peritos gregos e americanos criticam o limite ao consumo total de gorduras.

O extinto sal marinho e os perigos do sal refinado.

Excesso de flúor na água é perigo para a população.

Perigos do Cafezinho: Copos descartáveis liberam substância nociva ao homem quando aquecidos.

Aspartame

Posted: 16 Julho, 2013 in Portugal

Aspartame.

Mudei…

Posted: 13 Novembro, 2011 in Portugal

Mudei-me para outra morada.

Acompanhe-me.

Clique sobre a imagem…

 

Voltámos a ter artistas – sim também são trabalhadores, também comem e respiram e habitam…- em situação de indigência e total perplexidade e exposição a uma situação para a qual nunca contribuíram.

Solidários compulsivos e requisitados cronicamente para ajuda cívica ao cancro, aos sindicatos em luta, ao reumatismo, ao HIV, à criança que tem de ser operada não sei onde, enfim, a todas a todas as iniciativas de apoio a isto e aquilo, creio que neste momento já precisamos de ser solidários é com “os artistas portugueses”!

Continuam com efeito, a convidar-se para actuações , inclusive em concertos ou eventos com participação ou subsidio de Estado, centenas de artistas estrangeiros. Sem cairmos na cubanização cultural, nem fecharmos os olhos ao mundo, mas conscientes do momento de extrema precariedade no ramo, acho que consumirmos cultura portuguesa é também uma forma de combater a crise e cuidar do que é nosso, protegendo o artista português e divulgando a nossa cultura.

As autarquias representam 80% quando não mais dos nossos contratantes e empregadores. Com os cortes orçamentais obviamente que não podendo cortar nos esgotos nem na agua ou nos serviços públicos essenciais é na Cultura e na Animação Cultural e promoção de concertos e celebrações que obviamente os responsáveis municipais acabam por tentar poupar face aos orçamentos reduzidos. Resultado – quase não há trabalho neste momento para os artistas portugueses!

Este é um estado dramático de coisas que resulta por vezes até na derrota psicológica mais trágica como já diversas vezes tem acontecido. Não poderemos e não deveríamos fazer alguma coisa face a esta situação?

Pede-se a todas as entidades de algum modo promotoras de espectáculo que ouçam este apelo – É urgente que se contratem pelo menos durante algum tempo, exclusivamente artistas portugueses, pois começam a existir casos alarmantes e preocupantes.

Pensem nisto. “Eles” também são pessoas, eles também têm filhos a estudar, rendas para pagar e pratos na mesa. Vazios.

Pedro Barroso – Trovador, o Maestro

Manuel Araujo | 

Steve Jobs quis ver Bill Gates antes de morrer

por AUGUSTO CORREIA

O rival Bill Gates foi uma das últimas pessoas que Steve Jobs quis ver. O mentor do iPhone recusou ser operado para curar cancro, optando por medicinas alternativas, e gostava pouco de tomar banho. Revelações feitas pelo autor da biografia do fundador da Apple, que exigiu convite formal para falar com Obama, a quem disse que não seria reeleito.

foto JEFF CHIU/AP
Steve Jobs quis ver Bill Gates antes de morrer
Steve Jobs em 2005

Steve Jobs morreu a cinco de Outubro, vítima de cancro. Budista, adepto das dietas macrobiológicas, foi diagnosticado com cancro do pâncreas em 2003 e preferiu tratar-se com sumos de frutas, acupunctura e remédios de medicina tradicional que encontrava na Internet.

“Não queria que abrissem o meu corpo, que me violassem dessa forma”, disse Jobs, segundo o biógrafo, num excerto revelado da entrevista do autor da biografia do fundador da Apple, Walter Isaacson, ao programa “60 minutes”, da CBS.

Pressionado pelas súplicas da mulher, irmã e filhos, o fundador da Apple aguentou nove meses até recorrer à medicina tradicional, mas já era tarde e terá desperdiçado tempo precioso. “Pensava que se ignorasse algo, se não quisesse que existisse, podia fazer magia com a mente. Antes já tinha funcionado. E arrependeu-se”, contou Walter Isaacson, no vídeo difundido pela CBS, que antecipa a biografia de Jobs.

Mistura de frutos e LSD para “se concentrar”

foto ARQUIVO JN
Steve Jobs quis ver Bill Gates antes de morrer
Steve Jobs em 2005, com o mini iPod

Presidente do Instituto Aspen e biógrafo de Franklin ou Kissinger, Isaacson fez cerca de 40 entrevistas a Jobs, amigos e familiares. O resultado chama-se “Steve Jobs” e tem 650 páginas. O fundador da Apple encontrou o nome para a empresa a meio de uma das suas dietas, depois de visitar um pomar de maçãs.

Jobs estudou budismo durante vários anos e acreditava que a mistura de espiritualismo e dietas macrobióticas, que iniciou ainda adolescente, o protegeriam até do cancro. Segundo Isaacson, o fundador da Apple colaborou totalmente com o biógrafo, queria contar tudo, para que os filhos percebessem o trabalho que tanto tempo roubou à família.

Segundo a biografia, que será publicada na próxima segunda-feira, em adolescente Jobs aprendeu a olhar nos olhos dos outros sem pestanejar. Na altura, deu início à mistura das dietas à base de frutos e legumes com LSD, acreditando que a “receita” o mantinha concentrado na imaginação e indiferente ao dinheiro.

O “vil metal” terá sido uma das razões que levou ao divórcio com os co-fundadores da Apple. Antes de ser despedido, em 1985, acusou os executivos da empresa de carecerem de valores, de só se interessarem pelo dinheiro e considerou-os “corruptos”, conta Isaacson.

“Bill Gates roubou sem pudor ideias dos outros”

Extractos da biografia, publicados esta sexta-feira, no “New York Times” e no “Huffington Post”, revelam, ainda, algumas manias do fundador da Apple. No início da carreira, ficava tantas vezes centrado no trabalho que se esquecia de tomar banho. A empresa seguia-o de perto, para que não se desconcentrasse e tomasse banho com mais frequência.

A indumentária que usava habitualmente, pólo preto de gola alta, calças de ganga e sapatilhas cinzentas, era um uniforme que o próprio se auto-instituiu, depois de uma viagem ao Japão, nos anos 80. Impressionado com a ideia nipónica de que todos os empregados eram iguais, quis impor o uniforme na Apple. Os colegas de Executivo impediram-no, mas não o demoveram a criar um uniforme peculiar para si próprio.

O livro conta, também, que Bill Gates foi uma das últimas pessoas que Steve Jobs pediu para ver em vida. Depois do encontro, comentou com o biógrafo como encontrara o fundador da Microsoft feliz desde que se dedicara à filantropia.

“Bill tem muito pouca imaginação e nunca inventou nada. Por isso creio que se sente mais cómodo com a filantropia do que com a tecnologia. Roubou sem pudor as ideias dos outros”, dizia Jobs. Apesar de tudo, contra Isaacson, o fundador da Apple apreciava o fundador da Microsoft e admirava “o incrível instinto do que funciona”, que reconhecia em Bill Gates.

Enfrentamentos com Obama

A biografia conta também, alguns ataques de soberba. No Outono de 2010, Jobs exigiu que Obama convocasse um encontro formal se o queria conhecer. O presidente dos EUA tinha manifestado o desejo e o fundador da Apple exigiu um convite formal.

Apesar de ser Democrata e de se ter oferecido para desenhar o grafismo da campanha presidencial de 2012, Steve Jobs desancou Obama quando se encontraram, no aeroporto de San Francisco, nos EUA. “Vais ser presidente de um só mandato”, terá dito, acusando o actual líder norte-americano de ser demasiado de esquerda.

Num outro frente-a-frente com Obama, Jobs consegui que fosse servida a tarte que queria. Aconteceu num jantar organizado pela Casa Branca com vários executivos norte-americanos de topo. O fundador da Apple insurgiu-se contra o menu, que considerou “demasiado chique” e quis escolher a sobremesa. E conseguiu, em detrimento dos desejos presidenciais.

 

 

 

 

Desde 1981, celebra-se, a 16 de Outubro, o Dia Mundial da Alimentação. Esta data é comemorada por mais de 150 países com o intuito de alertar e consciencializar a opinião pública para questões globais relacio-nadas com a nutrição e alimentação. No ano 2000, Kofi Annan, na sua mensagem alusiva ao Dia Mundial da Alimentação, lembra que «o problema da fome é particularmente agudo no mundo em desenvolvimento. Uma em cada cinco pessoas dos países em desenvolvimento não tem acesso a alimentação com a qualidade suficiente. Em África, uma em cada três crianças sofre de subnutrição crónica. No total, 6 milhões de crianças em idade pré-escolar morrem todos os anos, em consequência da fome».

Efeméride – 14 de Outubro de 1946

Posted: 14 Outubro, 2011 in Portugal

1946 – Homenagem ao actor João Villaret

Com a colaboração de Amália Rodrigues, Vasco Santana, Ribeirinho e António Silva, realizou-se, em Lisboa, no dia 14 de Outubro de 1946, um espectáculo de homenagem a João Villaret. O homenageado interpretou, pela primeira vez, Quatro Odes de Miguel Torga intituladas A PoesiaA LuzAo Vento e A Baco.

Fonte: Diário Popular n.º 1454, de 14-10-1946, p. 2

Encalhei (como é hábito) no site do jornalista Jorge Correia e deparei com este interessante “manual” para viver “Alto e Bom Som”.

O nosso dia-a-dia é cada vez mais confuso e difícil, sem horizontes claros, mas o Jorge ajuda-nos sem custos, a “viver melhor”.

Obrigado Jorge, começo amanhã…

Muitas pessoas que eu conheço arrastam-se pela vida. Parecem sempre tristes e deprimidas. Parece que já morreram apesar de respirarem.

Um dos principais sintomas é o lamento permanente em que relação a tudo. Nunca mais é fim-de-semana, segunda-feira é o pior dia do mundo, nunca mais chegam as férias, o fim-de-semana foi rápido e não fizemos nada de especial, o tempo nunca é bom, olha está a chover, ou está calor de mais, ou vento, ou porque sim!

Vivem em irritação permanente e irritam os outros. São um aborrecimento montado sobre pernas.

Mas há alternativa: VIVER COM PAIXÂO

image thumb1 10 Passos para Viver Alto e Bom Som

E para isso há um par de dicas que aprendi com Tess Marshall que podem ajudar a dar um choque de paixão para viver a sua vida com coração:

ACORDE E INSPIRE FUNDO

É simples. É grátis. E funciona

Acorde. Espreguice-se e encha os pulmões de ar.

Cheire o ambiente. Cheire o seu dia. É perfeito para carregar o corpo de ar frasco e boa energia

PROCURE SIMPLICIDADE

Em cada momento. A cada passo. O mais simples possível.

Reconheço que sou cada vez mais influenciado pelos minimalistas. Para quê ter vinte relógios, dez fatos, trinta gravatas?

O mesmo se aplica ao telemóvel de última geração, ao tablet, ao computador, ao carro…

Podemos viver francamente mellhor com muito menos. Simplifique-se

SEJA AVENTUREIRO

Atire-se para a frente. Experimente. Experimente tudo. Faça a pergunta chave: “O que fiz eu de novo hoje?”

Vá em frente. Corra a maratona, aprenda russo, fale com desconhecidos no café, inscreva-se num concurso de dança ou de culinária.

Aventure-se

CONHEÇA A SUA TRIBO

É uma das principais formas de nos identificar-nos e de nos motivarmos: Quem são os nossos? Quem é a nossa equipa? A nossa tribo?

É com estes que vamos mudar o mundo. Escolha bem o seu grupo de conspiradores para mudar tudo à sua volta. E funciona!

ABRA-SE A NOVAS OPORTUNIDADES

Sempre de espírito aberto. Ouça todas as propostas. Experimente tudo. E nunca, mas nunca mesmo, feche uma porta antes de ouvir o desafio. Ligue-se às pessoas e olhos e ouvidos alerta. Todos os sentidos em sentinela. Há oportunidades que chegam de pantufas

FAÇA A SUA VIDA FELIZ

Pense positivo. Crie positivo. Acredite.

Se usar isto como lema vai atrair pessoas com ideias e maneiras de fazer positivas. É um estímulo que se multiplica.

CRIE BONS MOMENTOS PARA SI

Preciso de fazer uma lista: estar com amigos, família, boa comida, boa música.

Invista tudo em bons e prazeirosos momentos de vida.

Pense PRAZER!

DESENHE O SEU PRÓPRIO PLANO DE SAÚDE

A saúde é o mais importante de tudo. Mantenha-se saudável. Essa é a prioridade máxima. Desporto, comida equilibrada e bom descanso.

APAIXONE-SE PELA SUA VIDA

Apaixone-se por tudo o que mexe. Pessoas, animais, livros. Tudo o que justificar a sua vida como ser humano. A cultura, o sentido da vida.

VIVA COMO SE FOSSE O ÚLTIMO DIA

Tal como dizia Steve Jobs mantenha-se sempre apaixonado, sempre louco.

A morte é certa mas até lá tem de colocar a sua assinatura na Terra.

Vamos em frente?

Já experimentou  algo de novo, hoje?

Jorge Correia

Jornalista na RTP – Rádio

“A relação entre Maria João Bastos e Pedro Barroso ainda não foi assumida publicamente, embora a cumplicidade e o carinho que tem um com o outro seja mais do evidente.”

Não, não é o que pensam. Esse “pedro barroso” da notícia acima, trata-se de uma outra pessoa, que adquiriu [abusivamente?] o seu nome artístico.

Para mim e certamente, para a maioria dos portugueses, o “PEDRO BARROSO” que é sobejamente conhecido há mais de 44 anos, continuará a ser o Professor, o Músico, o Trovador, o Maestro, o Artista Plástico, o Compositor e Homem da Cultura, o autor do “Viriato”, da “Perninha da Menina” e de mais de 30 discos editados, que nos acompanham há mais de quarenta e quatro anos…

Não concordo e repugna-me, que “pára-quedistas” de ocasião, provoquem a confusão e se aproveitem do nome de um Artista já com mais de quatro dezenas de anos e de muitos êxitos, como é o caso concreto, do consagrado PEDRO BARROSO.

Não concordo também e custa a aceitar que o verdadeiro PEDRO BARROSO, seja “obrigado” a assinar como “António Pedro Barroso” para se diferenciar do “artistinha” das telenovelas.

Não imagino sequer, o que a Lei prevê em casos destes, mas no jornalismo isto nunca poderia acontecer, porque não há nomes iguais.

Esta situação confunde as pessoas, é desagradável e há a necessidade de alguém de direito pôr cobro a situações destas.

Manuel Araújo

 

 

 

O escândalo da Madeira ultrapassa tudo o que se possa conceber em termos de uso dos dinheiros públicos para promoção política local.

Descobrem-se agora os milhões – alias, milhares de milhões! …- gastos em obras muitas vezes de gosto e necessidade muito duvidosa. Por outro lado, quando pensamos Madeira temos a tendência para imaginar um “quase país” independente, uma espécie de filho reguila, gastador, estarola e sistematicamente contrariado; mas conferindo-lhe sempre uma importância e dimensão q nunca teve.

A Madeira, porem, cabe inteirinha no concelho de Odemira por exemplo; e só a ilha de S Miguel nos Açores já é maior que o “país” de João Jardim.

A impugnação imediata e julgamento por crime de gestão danosa de dinheiros públicos é imperiosa e não pode haver quaisquer reticencias do governo da Nação com este perigoso e irresponsável esquizofrénico.

Dizer apenas que não se vai lá fazer campanha é pouco.
, este irrisório e mal criado sujeitinho, … era bem mais seguro.
Sobretudo para todos nós, que lhe pagamos os luxos e a poltrona há tanto tempo!

Pedro Barroso

Tesouros do Antigo Egipto no Porto

Posted: 22 Setembro, 2011 in Portugal

“Coleção Egípcia da Universidade do Porto” abre ao público a 23 de Setembro

Pensar no Antigo Egipto remete a imaginação para cenários fantásticos, povoados por múmias, esfinges, sarcófagos e faraós. Pois bem, a partir do próximo dia 23 de Setembro, a imaginação vai tornar-se realidade quando o edifício da Reitoria da U.Porto abrir ao público as portas da exposição “Colecção Egípcia do Museu de História Natural da Universidade do Porto”.Naquele que promete ser um dos pontos alto das comemorações do Centenário da Universidade do Porto, mas também do cartaz cultural da cidade em 2011, os visitantes vão poder usufruir de uma verdadeira aula de História em três dimensões, proporcionada pelas 103 peças que compõem o núcleo egiptólogo daU.Porto. Esta é, afinal, uma oportunidade rara para conhecer aquela que se configura como a segunda maior colecção de antiguidades faraónicas conservadas em Portugal.Máscaras funerárias, múmias, amuletos, um sarcófago, vasos para guardar as vísceras do defunto, escaravelhos e estatuetas funerárias são alguns dos tesouros que vão recriar os hábitos de vida dos antigos egípcios numa sala preparada para o efeito no 3º piso do edifício da Reitoria. Aí estarão representadas “praticamente todas as grandes épocas da história do antigo Egipto”, revela Luís Manuel Araújo, egiptólogo, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e comissário científico da exposiçãoAlém de apreciarem a riqueza patrimonial e científica da exposição, os visitantes vão também ter a oportunidade de conhecer a forma como a colecção chegou à Universidade do Porto. Trata-se, na verdade, de um espólio oferecido a Portugal em 1926 pelo governo alemão, numa “atitude de gratidão” pela devolução de um navio aprisionado e retido no país durante a I Guerra Mundial, quando transportava um importante espólio arqueológico originário de Assur, na antiga Mesopotâmia. Em 1921, o espólio do “Cheruskia” foi cedido à U.Porto por decisão de Augusto Nobre, então ministro da Instrução Pública e histórico cientista e professor da Universidade, tendo servido posteriormente como “moeda de troca” no processo que trouxe a colecção egípcia do Museu de Berlim para o Porto.

A inauguração da exposição está agendada para as 17 horas do dia 22 de Setembro e será precedida de uma conferência sobre “As colecções egípcias em Portugal”, protagonizada por Luís Manuel Araújo. Uma hora depois, cabe a Rogério Sousa, do Instituto Superior de Ciências da Saúde-Norte, apresentar o catálogo da colecção. Já no dia 23 de Setembro, pelas 18h00, Luís Manuel Araújo fará a apresentação do catálogo no Fórum da FNAC de Santa Catarina, no Porto.

Após a inauguração, a “Colecção Egípcia do Museu de História Natural da Universidade do Porto” pode ser visitada de segunda a sexta-feira entre as 10 e as 17 horas. A entrada é livre.

Mais informações em http://centenario.up.pt/


Projecto Animais de Rua

A Animais de Rua celebra hoje os 7000 animais esterilizados!

Hoje é um dia especial para a Animais de Rua, que não podíamos deixar de partilhar com todos os nossos amigos. Hoje, o contador de esterilizações (que todos podem acompanhar na página inicial do nosso website) marca 7000 animais esterilizados!

Aqui fica a nossa profunda gratidão a todas as pessoas que tornaram possível esta mudança extraordinária nas vidas de 7000 animais do nosso país: aos voluntários que dedicam o seu tempo livre, faça sol ou chuva, a capturar e a cuidar dos animais, a toda a equipa do back-office que trabalha incansavelmente na parte administrativa da associação, aos veterinários que realizam as cirurgias a custo reduzido, aos padrinhos que financiam as esterilizações, às empresas que apoiam o nosso trabalho, às autarquias que cooperam connosco e a todos os nosso apoiantes, que estão sempre ao nosso lado, a comemorar as nossas vitórias e ajudar-nos a superar as situações difíceis com que nos vamos deparando. Sem todos e cada um de vocês, não estaríamos a celebrar este marco tão importante para a história da AdR. Muito obrigada a todos!

Animais de Rua no programa Sociedade Civil!

No âmbito das iniciativas do Ano Europeu do Voluntariado, a Animais de Rua foi convidada para participar no Sociedade Civil. Quem não teve oportunidade de assistir ao programa, poderá ver o vídeo da nossa participação na secção de Comunicação Social do nosso website:http://www.animaisderua.org/comunicacao_social

Novos Núcleos de Faro e Sintra precisam muito de voluntários!

Outra notícia que muito nos orgulhamos de vos transmitir é a abertura de dois novos Núcleos, que irão operar nas zonas de Sintra e Faro. São duas localidades onde existe uma necessidade muito urgente da nossa intervenção, com inúmeras colónias e animais de rua a precisar de ajuda. Precisamos, com muita urgência, de voluntários para estes dois novos núcleos. Se reside na zona de Sintra ou Faro, por favor considere dedicar algum do seu tempo livre a esta causa! Há muitas formas de ajudar: capturas, boleias dos animais para as clínicas, pós-operatórios, campanhas e trabalhos administrativos. Para mais informações, por favor contacte: geral@animaisderua.org

Se reside na zona de actuação de um dos outros Núcleos (Porto, Lisboa ou Lagos), contacte-nos também! Todos os núcleos precisam muito de voluntários para conseguirem chegar a mais animais em risco.

Campanha de lançamento de moedas na fonte do MAR Shopping continua!

Quando for ao IKEA de Matosinhos ou ao MAR Shopping, não se esqueça de lançar uma (ou várias! :)) moeda na fonte da entrada principal do MAR Shopping. Todas as moedas lançadas à fonte são doadas à Animais de rua!

Número Solidário Animais de Rua!

Por menos de 1€, poderá ajudar a Animais de Rua, ligando para o 760 300 161 (0,60€ + IVA). Se fizer uma chamada por semana, estará a dar um contributo precioso ao nosso programa de esterilizações.

Muito obrigada!

A equipa da Animais de Rua

 

Associação Animais de Rua — Esterilização e Protecção de Animais em Risco
http://www.animaisderua.org/
geral@animaisderua.org

A “fraude” do 11 de Setembro

Posted: 11 Setembro, 2011 in Fraude, Portugal

Após ver estes documentários, sobre o “atentado” do 11 de Setembro” e sem querer afirmar que se trata ou não, de uma “fraude”, realmente existem sérias dúvidas e deixa-nos muitas questões sem resposta…

Veja os vídeos, pense com a própria cabeça e tire as suas conclusões. Comente…

Leia este texto de 2003

 

Os vídeos:

O Jornalista da Time e CNN, Fareed Zakaria que apresenta o programa Global Public Square (GPS), com grande audiência nas noites de domingo, recebeu o economista e Prémio Nobel Paul Krugman e também KenRogoff (ex-líder do FMI) para analisar a situação da economia norte-americana. As declarações de Krugman não passaram despercebidas aos telespectadores mais atentos, pois o Prémio Nobel, “apelou”  para uma invasão alienígena nos EUA para solucionar a crise e reactivar a economia.

Paul Krugman afirmou, que quando não há consumo suficiente, a economia é reduzida e reduz o crescimento. Portanto segundo ele, é necessário aumentar o consumo de qualquer forma, e uma invasão extra-terrestre viria ajudar. Um ataque alienígena provocaria um grande aumento da despesa pública na defesa e também toda a sociedade devido ao medo generalizado, passaria a produzir mais bens para resistirem e se protegerem deste “ataque”, o que reactivaria a economia…


Gostaria de aprofundar um pouco as críticas que se fazem muito justamente à política cultural que tem sido recorrente em todos últimos Governos, sendo profundamente solidário com todos os agentes culturais que se sentem feridos e insultados por ela.

De facto, a Arte e a Cultura são expressões maiores e das mais diferenciadoras que existem de um povo e de um País.

Faz mais por vezes pelo seu país um musico, numa hora em cima de um palco, que muitos embaixadores e diplomatas uma vida inteira.

É lamentável que se gaste tanto dinheiro com por exemplo, um exército convencional – será que ainda não se percebeu que hoje já ninguém invade ninguém e que as ameaças de segurança actualmente derivaram de armas e de método? – E tão pouco no culto da imagem externa do país.

Sendo relativamente poucos milhares no computo de uma Nação, os seus artistas e Investigadores, desportistas, etc bem poderiam ser mais ajudados pois são muito mais paradigma nacional que os próprios políticos, sinceramente sempre iguais em toda a parte. Coisa que eles sabem claro, e não gostam…

Talvez daí a sua legislação tergiversa e prolixa num sistema subsidiário que apenas protege e integra os amigos dos amigos. Produzir Arte e Cultura são das formas mais elevadas seguramente, de dar vida a uma imagem morta de Portugal sem chama, adiado e adormecido sob o estigma do insulto político e económico.

No palco ou na galeria de arte, tal como nas pistas e espaços desportivos não há outro rating que o da performance e da verdadeira e evidente qualidade.

A extinção de um simples batalhão, seus vencimentos anuais, gastos militares, armamento pesado e ligeiro, carros militares ou de serviço e outras mordomias, daria para construir 1000 auditórios com piano de cauda e todas as condições técnicas pelo país fora.

Em Portugal verifica-se existir um dos povos com menos conhecimento artístico e musical da Europa. A concepção de divertimento tem andado pelo Marco Paulo, as “Doce”, depois a Ágata e hoje o Tony carreira, para não resumir na canção pinga amor, pelas idas ao futebol e pelas festarolas de foguetório. Lamento mas é verdadeiramente o que sinto – é esse o conceito de celebração de um povo que não lê senão “a bola”, que pensa que Paganini é o ultimo gajo que o Benfica contratou e que Vergílio Ferreira, espera, já sei, parece-me que é um qualquer corredor da Sicasal.

Assim, de facto…vamos continuar a esperar muito tempo ainda, por um país mais culto e com valores e objectivos muito modificados e distantes em relação ao actual provincianismo pimba. E a política cultural parece não ver isto, fechada que está entre as redomas de lóbis do palácio da Ajuda e no espartano espartilho orçamental…

Pedro Barroso

Músico e Maestro

www.pedrobarroso.com

SÃO JOÃO

Posted: 23 Junho, 2011 in Braga, Cultura, Ferias, Poesia, Porto, Portugal

Celebra-se o São João
A vinte e quatro de Junho
Como manda a tradição
Que nos passou testemunho.

Em muitas localidades
Entre as quais o Porto e Braga
Há grandes festividades
Que o tempo jamais apaga.

Alhos-porros e martelos
São seculares tradições
Com galhofantes duelos
Que distraem multidões.

Há rusgas e bailaricos
Folia e sardinha assada
E compram-se manjericos
Para dar à namorada.

Existem outros lugares
Onde há marchas e fogueiras
Que nos Santos populares
São comuns e rotineiras.

É assim a tradição
Festiva e cultural
Dedicada a São João
Em terras de Portugal.


Euclides Cavaco

ILC contra o Acordo Ortográfico

Colabore com a nossa Causa.

Pode organizar recolhas de assinaturas?

Envie email para receber conjunto de ficheiros para recolha de assinaturas múltiplas (com impresso de 14 assinaturas por página): click AQUI.

 

Os “cozinheiros” do anedótico Acordo: