Publicado em Portugal

A Eutanásia da igreja católica

img_20191230_124325_0esqueletoandante.gifEntre 1536 e 1821, em Portugal, a igreja católica MATOU cerca de mil e quinhentas pessoas, que foram queimadas vivas e/ou decapitadas e mais de 25.000 foram condenadas a diversas penas.


Hoje, a igreja católica mudou e não pretende mais fogueiras, nem decapitações, nem Eutanásia. Prefere antes, “mais camas” e “Cuidados Continuados de qualidade”. Dessa forma vão gerindo a morte-lenta e poupando os clientes o mais que podem, pois essa é a forma mais lucrativa. Um cliente morto é um desperdício…

Publicado em Portugal

Eutanásia? Sim, sou a favor.

age-993995
Na imagem: “Por favor, deixem-me morrer”

Pessoas próximas sabem o que penso sobre a Eutanásia. Sou a favor.

Em 2018, houve no Parlamento um projecto a favor da legalização da eutanásia, mas grupos de gente desprezível, egoísta e sem sentimentos, chumbaram-na. Dessa forma condenaram imensas pessoas à morte lenta acompanhada de um sofrimento atroz, indescritível e perpetuo, permitindo dessa forma alimentar a caridadezinha da igreja/misericórdias.

Eu sou a favor da Eutanásia, porque ela iria ajudar muitos doentes sem qualquer esperança, em fase terminal e perfeitamente lúcidos, que estão a morrer aos bocados, com dores lancinantes indescritíveis, perante o desesperando dos familiares e amigos, que vivem atormentados e impotentes até ao fim.

Os que são contra, quando algum dia, tiverem um familiar ou amigo em fase terminal, com todas as suas faculdades mentais intactas, a implorar que o matem, porque a morfina já não surte qualquer efeito, e não havendo comprovadamente qualquer esperança de cura, vão querer a Eutanásia.

Sim, eu sou a favor e aceito a Eutanásia naturalmente, porque infelizmente sei do que falo. Muitos dos que são contra, não sabem, nem querem saber do sofrimento, da dignidade e do direito universal que nos assiste. Essas pessoas, acríticas seguidoras e sem pensar, são apenas meras “câmaras de ressonância” dos interesses dos partidos, e/ou das religiões.

Os interesses e os negócios dos promotores da campanha do não à Eutanásia, não pensem que é o bem-estar do ser humano, nem tão pouco a dignidade, mas sim, é a pobreza e a morte lenta.

Publicado em Portugal

“Talibãs” da minha terra

sharia-4713333_1920

Pseudo feudos e Talibãs


Manuel Araújo – ano 2003

Como me considero ainda, um cidadão livre, de pensar e agir e de acordo com o que a Lei me faculta, decidi apoiar subscrever e comentar um abaixo-assinado surgido em Caldelas em que pediam às autoridades competentes, a devolução do único espaço que inicialmente estava destinado ao teatro, ao folclore, conferências, congressos, cinema, ensaios vários, etc, ou seja, um Auditório para fins culturais.

O referido espaço, propriedade da Junta de Freguesia, funciona, ilegalmente há mais de dois anos, isto é um facto, pois não possui qualquer espécie de licença, seja ela de regulamentação, abertura ou de comercialização de bebidas alcoólicas, entre elas o vinho de produtores privados, sem qualquer controle, nem tão-pouco licença das máquinas de jogos electrónicos.

Em declarações públicas, um membro da junta de freguesia afirmou que a exploração do local foi cedida ao Grupo Coral / Comissão de festas, mas por outro lado, fonte bem colocada do Grupo Coral, contesta e refuta a afirmação e assegura que “o Grupo Coral, não tem nada a ver com a tasca”.

Autoridades concelhias e distritais, são, desde há algum tempo, conhecedoras da situação, mas nada aconteceu até ao momento. Será que evocaram também a excepção à Lei, tal como fizeram em Barrancos com o toiros de morte?

Além das ilegalidades expostas, acresce ainda o facto, de o espaço não ter condições de segurança ou de higiene – segundo o parecer recente, dos técnicos da Câmara Municipal de Amares, que chegaram à conclusão de que — “o espaço é inapropriado para auditório ou para biblioteca”…

É estranho, pois, supostamente, foram os mesmos serviços, que deram o parecer favorável, aquando a sua construção para o fim de um Auditório .

Mas não serve para auditório ou biblioteca agora, dizem os técnicos. Mas servirá para serviço de tasca ?

À margem de todas as regras de bom relacionamento com os restantes condóminos, resolveram, sem dar satisfação a ninguém, abrir enormes orifícios na parede do imóvel, para o exterior, para assim expelir os fumos.

Perante a minha tomada de posição, sobre a situação, tudo na minha vida se complicou. Senão vejamos;

Presumo que seja apenas “coincidência”, mas…

• pneus cortados,
• inscrições murais de teor intimidatório,
• envenenamento dos cães dentro do meu próprio quintal,
• o pão da manhã espalhado, pelo chão

• rodas desapertadas
• e a recentemente e repetida vandalização por lacragem, do canhão da fechadura da porta do meu escritório, impedindo-me de entrar,

Isto já dá que pensar, por isso, apresentei queixa na GNR, contra “desconhecidos”.

Recordo, uma confidência de um amigo, que me avisou quando comecei a denunciar estes casos, que os “Talibãs” iriam atacar-me… e que eram “talibãs” pseudo feudais, homens ressabiados, habituados a serem servidos e adorados, que detestavam quem lhes fizesse sombra, ou lhes falasse alto e que não gostavam também, que ninguém se lhes metesse pelo caminho, ou lhe ocupassem as clareiras.

Ah… disse-me também, que as mulheres deles, nem sempre usavam “burkas”. Essa afirmação, eu não a entendi… Não a entendi…. e fiquei admirado, porque as tribos tipicamente talibãs, são de outras paragens, o que ainda existe são alguns caciques e pensei até, estarem já definitivamente acantonados, extintos ou em hibernação.

Sabe-se, que alguns dos talibãs/caciques mais jovens, conseguiram escapar e tinham-se  integrado plenamente e posto de lado o fundamentalismo, que, durante décadas os orientou. Pensei que teriam aprendido a viver em sociedade e em paz…

Tenho pensado, no alerta desse meu amigo e agradeço-lhe ter-me avisado, mas não tenho receio, porque os “talibãs” verdadeiros não existem em Caldelas, existe apenas alguns caciques cobardolas, que lançam a pedra e escondem a mão. Ou melhor, ordenam aos “jaquinzinhos” que o façam.

Os verdadeiros talibãs, os quais também nada aprecio, esses sim, são corajosos e dão a cara, recorde-se, que mesmo contra a vontade de quase todo o Mundo, eles dinamitaram e destruíram as estátuas dos Budas Gigantes no Afeganistão. Estes de Caldelas actuam cobardemente na calada da noite.

A propósito: alguém sabe, o que fizeram eles, com os camiões de pedra, gravilha e cascalho “desaparecidos”?

Eu sei… e muita gente de Caldelas também sabe, mas nada diz…

Publicado em Portugal

CANÁBIS Medicinal – Governo “favorece lóbi da indústria farmacêutica”?

22122019

Manuel Araújo

Em Portugal o consumo de Canábis agravou-se nos últimos anos, mas mesmo assim, o número de mortes causadas por overdose é zero. Ao contrário do que querem fazer crer, a Canábis ainda não matou ninguém em qualquer parte do mundo. Por outro lado, no mundo inteiro o álcool e o tabaco, são altamente mais mortíferos e incapacitantes e não é por isso que proíbem a plantação das vinhas, ou o uso do vinho, ou do cigarro.

Existe em Portugal pacientes, que querem (e podiam) ser curados com os derivados da Canábis, mas rejeitam ser marginalizados e criminalizados como se fossem traficantes. A actual legislação pouco ajuda, pois só permite aos doentes terem acesso à Canábis, depois de esgotados todos os outros tratamentos, com os medicamentos das farmacêuticas.

Há pacientes desesperados e alguns já sem esperança, que correrem riscos desnecessários ao adquirirem “secretamente” e com medo, CBD Medicinal falso/adulterado a preços exorbitantes sem qualquer garantia de qualidade, pondo em risco a sua saúde. O descontentameto é tal, que há até quem acuse o Governo de estar supostamente a “favorecer” os lóbis, os “traficantes” e a “indústria farmacêutica”.

São milhares de pessoas que aguardam a clarificação/certificação/liberalização do uso dos produtos da Canábis para fins medicinais: É importante e urgente a clarificação do uso legal desses produtos. Para justificar essa urgência, apresento apenas dois casos reais de pacientes, os quais manifestaram reserva de privacidade e não me permitem identificá-los.

— O primeiro caso é de um paciente, 65 anos com “cinco nódulos de cerca de um centímetro e pouco cada um” – no fígado.
Ele possui dupla residência; uma na praia e outra no interior.
Em Julho de 2017 começou o tratamento com Óleo Medicinal de CBD. Primeiro com 5% e depois 10% três vezes ao dia. Nos exames mensais verificou-se uma acentuada regressão dos “nódulos”.

Ao fim de quatro meses, havia apenas ligeiros vestígios/sombras dos “nódulos”.
A cirurgia que os médicos queriam fazer, foi posta de parte.

Quatro meses depois, no início do Outono mudou-se para a sua residência principal e como havia por perto uma loja que vendia o CBD, passou a comprá-lo nessa loja.
Uns meses mais tarde, na consulta de rotina, com grande estupefacção, os “nódulos” voltaram a aparecer.

Os médicos aconselharam-no de imediato a fazer a cirurgia de remoção dos tumores, o que aconteceu quase de seguida.
O paciente está actualmente em recuperação e a ser seguido no IPO.

Devido à falta de garantia de um produto fidedigno, ele deixou de acreditar e de tomar o CBD.
— O segundo caso trata-se de um paciente, com 30 anos diagnosticado com Epilepsia aos 28 anos de idade.
Durante 14 anos, os médicos não conseguiram diagnosticar a sua doença. (Dos 14 aos 28)
O paciente tinha múltiplas (dezenas) síncopes e espasmos diários.

Durante esses 14 anos, e após ter consultado muitos médicos e feito imensos testes, exames, tomado inúmera medicação fazendo de “cobaia”, tendo inclusive estado internado, os especialistas descobriram e concluíram que era uma forma “rara” de epilepsia.

Depois de correctamente diagnosticado e medicado, o paciente nunca mais teve síncopes ou espasmos, mas devido à medicação, ganhou peso e uma depressão.

Há dois anos, começou a usar CBD a 5% duas vezes aos dia, juntamente com a medicação química receitada pelos especialistas.

Seis meses após o início do uso do CBD, sem avisar o médico reduziu a medicação a 50%. Actualmente usa o CBD duas vezes ao dia e reduziu para 25% a medicação “química”, a qual pretende deixar de tomar completamente, se houver garantia de usar CBD legal e de qualidade.

Refere, que houve um mês que não teve acesso ao CBD habitual e adquiriu-o num outro fornecedor.

Dias após ter começado a tomar do “novo” CBD, as crises espasmódicas voltaram com imensa intensidade.

Como conclusão, é óbvio, que nestes dois casos, há um factor comum: a falta de garantia de qualidade dos produtos, que são vendidos aos doentes.

A bem do interesse dos doentes, é urgente que o Governo legisle e liberalize o uso do CBD Medicinal, sem “golpes de cintura”, acabe com o tráfico e garanta a qualidade do produto disponibilizado aos pacientes.

Publicado em Portugal

Se a UE quer mesmo ajudar os “refugiados”/imigrantes, dêem-lhe a cana…

722896.png

Foto: Jornal do Algarve

Há cincos anos escrevi este texto e hoje penso exactamente da mesma forma, com uma ligeira diferença; estou mais preocupado.

Que fique claro, não sou islamófobo nem xenófobo e quem me conhece sabe isso. Portanto digam o que disserem depois de ler, chamem-me o que vos der na real gana, porque não me “aquenta nem arrefenta”, se pensarem o contrário.

Não sou contra as vítimas inocentes das guerras e outras calamidades, nem contra os verdadeiros refugiados, nem mesmo contra todo aquele que tenta por meios legais um emprego na Europa. Sou isso sim, contra os “taxistas passadores”, assassinos e corruptos causadores da guerra, que originou este êxodo.

Sabe-se desde há muito que várias ONG´s, com o apoio da EU e de grupos profissionais sem escrúpulos, estão a ganhar milhões com a importação dos “refugiados” e a enganar a opinião pública. São eles que os encorajam vir para a Europa e vão buscá-los a poucas milhas da costa dos seus países. Se tem dúvidas do que falo, então veja este vídeo de um: Barco-Taxi

Ultimamente tem sido o Algarve a porta de entrada na Europa, principalmente de marroquinos, que chegam em barcos de madeira velhos, mas quando são interceptados apresentam-se impecavelmente vestidos com roupas de marca e a utilizar telemóveis de última geração, mas, nenhum deles pode ser identificado, pois nenhum se faz acompanhar da identificação pessoal.

Mais ou menos à descarada o plano deles está a funcionar, ao mesmo tempo que Governos e comunicação social lançam areia para os olhos das pessoas, fazendo do povo carneiros acríticos, estúpidos e obedientes.

Esta invasão já não tem nada a ver com humanismo e quando derem pelo logro que caíram, vai ser demasiado tarde.

Se a UE quer mesmo ajudar os “refugiados”/imigrantes, dêem-lhe a cana, em vez do peixe. Criem-lhes condições na origem, para que eles possam refazer a sua vida.

Publicado em Portugal

Estou triste…

Captura de ecrã 2020-01-31, às 12.48.41

Notícia de há dias: “Chega [Partido Fascista pró-Nazi] ganha terreno e iguala o PCP nas intenções de voto”.

Os portugueses parece que têm saudades do tempo de partilhar uma sardinha, da Pide, da Censura, da fome, da ignorância, do medo e do matadouro criado pelo Estado Novo que foi a Guerra Colonial.

Depois de tanto sacrifício; tortura, deportações, fome, injustiças, miséria e após quase dez mil vidas de jovens mortos, por birras de imperialistas tacanhos, é triste ver esta horda de desmemoriados, terem saudades do tempo das trevas. Estou triste…

Publicado em Portugal

Vá lá… larguem a bengala!

blind-1027860_1920

A pluralidade/seriedade é algo inatingível e inacessível a algumas pessoas.
Se é verdade que neste país há gente desprezível que devia estar na cadeia, ela encontra-se em todas as franjas da sociedade e não apenas no grupelho A, B, ou C. São todos iguais.

Cheguei a um ponto da minha estrada da vida, que já não me importo o que pensam e se eu circulo em conta-mão, aos zigue-zagues, ou de marcha-à-ré. Irrita-me esta “cegueira” voluntária.

Se acham que sou exagerado, cliquem nos links que seguem um a um e depois comentem. Ou não…

1 — http://bit.do/fryAs
2 — http://bit.do/frdxQ
3 — http://bit.do/frdyd
4 — http://bit.do/frdyP
5 — http://bit.do/frdy6
6 — http://bit.do/frdzk
7 — http://bit.do/frdzG

Estes não são casos únicos. Há mais…

 

PS: este desabafo vem a propósito de alguns “ceguinhos” atacarem, com, ou sem razão, apenas um dos visados no “perdão da dívida” quando há inúmeros na mesma situação.