Churrasqueira de Caldelas, representa a Região de Turismo do Minho em Santarém.

Posted: 25 Outubro, 2003 in Amares, Braga, Caldelas, Culinária, emigração, Música, Minho, Opinião, Reportagem, Social, Turismo

Manuel Araújo

O Restaurante Churrasqueira de Caldelas mudou-se temporariamente para a casa do Campino, em Santarém, onde, desde o passado dia 14 e até ao próximo dia 2 de Novembro, decorre o Festival Nacional de Gastronomia de Santarém.

No dia do Minho, no passado domingo, a casa do Campino encheu-se, para saborear a gastronomia regional minhota, ao som do grupo de cantares “Verde Minho” de Amares.

Neste Festival, que já vai na 23ª edição, estão representadas todas a Regiões de Turismo do continente e ilhas, através de restaurantes representativos da gastronomia das respectivas regiões.

Este ano, coube ao Restaurante Churrasqueira, a honra e a responsabilidade de representar a Região de Turismo do Minho e mostrar ao país a gastronomia, ímpar deste verde jardim, que é toda a região minhota.

A equipa do Churrasqueira de Caldelas, supervisionada pelo proprietário sr. José Antunes e chefiada pelos seus dois filhos Miguel e José, tudo fizeram para prestigiar o Minho e em particular o concelho de Amares.

O chefe Silva, verdadeiro embaixador do Minho,também esteve presente e fez as honras da casa apresentando os pratos servidos e a sua confecção, à medida que iam sendo servidos.

De entre as iguarias que se poderam experimentar, destaque para o bacalhau à Caldelas com migas de vargem e também o cabritinho da serra, com arroz do forno de miúdos e grelos . Os sabores regionais servidos à sobremesa, foram entre outros o pudim de Caldelas, os formigos, as “rabanadas churrasqueira” e a laranja de Amares com mel…

Quanto aos vinhos, foram seleccionados os verdes da região, para acompanhar a refeição. Foram os tintos, o brancos e também o espumante de vinho verde, todos da casa da Tapada, que são exemplos da qualidade dos vinhos desta região minhota.

O artesanato de Amares também esteve presente. Doces de laranja, bordados, pintura e a escultura do conhecido artesão amarense Jorge Oliveira, foram muito apreciados.

Para esta deslocação a Santarém, o Restaurante Churrasqueira de Caldelas contou com o apoio logístico da Câmara Municipal de Amares.

Aconselhamos vivamente, uma deslocação a Santarém, “é só um saltinho” e através da A1 são apenas 2 horas e justifica-se a todos os minhotos e não só, pois neste certame, temos o artesanato nacional e inúmeros petiscos que a gastronomia nacional nos pode proporcionar. Vá até lá, pois o Festival Nacional da Gastronomia de Santarém, termina neste fim de semana dia 2 de Novembro de 2003.

Já agora, leve alguém consigo que guie e não beba…

Comentários
  1. Anonymous diz:

    Sou habitante de Vila Nova da Barquinha e não conhecia o Minho, infelizmente.

    Mas felizmente, passei por Santarém, aquando da feira gastronómica, onde representava o Minho o restaurante Churrasqueiro.

    Fomos três pessoas, que participamos no almoço do Minho e gostamos tanto, que depois disso, já visitamos o Minho por três vezes, duas delas, fizemos questão em almoçar em Caldelas, no mesmo restaurante que nos deu, em boa hora, a conhecer o Minho. Gostamos imenso, simpatia, higiene, qualidade. É um restaurante que tenho aconselhado quando falo do Minho.

    Obrigado Churrasqueiro, obrigado Minho.

    Até breve, voltaremos…

    A. Ribeiro

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s