Euclides Cavaco é um vulto ímpar nas Comunidades portuguesas, cidadão e Homem do Mundo, grande mensageiro da Cultura e da Língua de Camões. Radicado no Canadá há mais de 35 anos, é com toda a justiça, apelidado de “Embaixador da Língua e Cultura de Camões”.

Euclides Cavaco esteve no Minho na Biblioteca Municipal de Vila Verde no passado dia 19, onde à noite lançou “Horizontes da Poesia”. Durante a tarde, em Amares, homenageou Sá de Miranda junto ao túmulo.

Após ter almoçado com amigos na Churrasqueira de Caldelas, seguiu para Carrazedo, Amares, onde homenageou Sá de Miranda junto ao túmulo.

Acompanhado por amigos e pelo vereador da Cultura da Câmara Municipal de Amares, Dr. Emanuel Magalhães visitou a Quinta da Tapada em Fiscal Amares.
Ali foram recebidos pela Dra. Clara Aires, responsável pelo emblemático Solar, local onde viveu Sá de Miranda. Esta Quinta da Tapada, data do século XVI é considerada de Interesse Público e está situada num local de grande beleza paisagística, onde reina a tranquilidade. Está aberta ao publico e na loja que possiu, podem ser encontrados vários produtos regionais.

Na Capela, de riquíssima talha, mas a necessitar de restauro, Euclides Cavaco, recitou alguns trabalhos, e no final prendou o povo de Amares na pessoa do Dr. Emanuel Magalhães, com um poema inédito alusivo ao Concelho, que poderá vir a ser usado no futuro, na promoção turística de Amares. À Biblioteca da Quinta, ofereceu alguns exemplares de “Horizontes da Poesia”.

No culminar da visita, foi feito um brinde ao êxito da obra que era lançada, brinde esse, efectuado pelos presentes, com o já famoso e muito apreciado “Espumante de Vinho Verde” produzido na Quinta da Tapada.

À noite, na Biblioteca de Vila Verde, temas sociais, o fado, o amor, a portugalidade e principalmente a saudade, predominaram na apresentação do livro “Horizontes da Poesia”…

A sessão do lançamento, foi aberta e presidida pelo Dr. Tiago Lopes, responsável pela Biblioteca, em representação do Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde e o autor, foi apresentado pelo ex-emigrante e jornalista Manuel Araújo, estando a apresentação e análise do livro “Horizontes da Poesia”, a cargo do professor e escritor, autor do livro “à Luz da Kabbalah”, Dr. José Cunha Rodrigues.

O Dr. José Cunha Rodrigues, teceu rasgados elogios ao autor e à sua vasta obra, tendo afirmado que é interessante, a forma e a perspectiva de emigrantes como Euclides Cavaco e Eduardo Lourenço “nos vêem lá de fora”, nos seus trabalhos.

Incansável, Euclides Cavaco anunciou já, a sua próxima obra que está no prelo, que terá como título “À descoberta da História”. Segundo o autor, “é um trabalho inédito que faz perguntas” e “é direccionado às escolas”. Diz-nos que o objectivo desta obra, é as escolas “pegarem nele, porque as escolas hoje, ensinam muito pouco a História” e que, “se continuar assim, daqui a alguns anos não temos Memórias do que cá se passou”.

“Somos portugueses duas vezes, sentimos Portugal duplamente”

Referindo-se à saudade e ao amor a Portugal, afirmou que, “nós, que vivemos na diáspora, somos portugueses duas vezes, sentimos Portugal duplamente”. Em Alma Lusíada, poema que declamou com grande paixão, ele demonstra claramente a afirmação:

Alma Lusíada

Ser português,
É amar a Pátria Portuguesa,
É tê-la sempre presente
É gostar, com muita firmeza,
Das nossas coisas
E da nossa Gente.

Ser português,
É vibrar de emoção,
Ao descobrir,
Entre mil bandeiras,
Desfraldadas ao vento,
A bandeira da Nação.

Ser português,
É ter orgulho da nossa história
E dos nossos antepassados.
É dar testemunho,
De tudo o que somos
E com muito prazer,
Nos sentirmos honrados.

Ser português,
É entoar com emoção,
O nosso Hino e as nossas canções
E sem apreensão,
Cantar… falar… ou rezar,
Em qualquer parte…sem hesitar
A língua de Camões.

Ser português,
É ser diferente,
É ter alma Lusíada,
É saber estar ausente…
E em qualquer lado,
Gostar de tudo
O que evoca a Pátria
E nos inspira amor
A esse cantinho,
À beira mar plantado !…

Escute Alma Lusíada


Mas, nesta sessão de apresentação, não se falou apenas de livros e poesia. O tema “Porte Pago” e a sua eliminação progressiva, foi também focado, chegando mesmo Manuel Araújo, a acusar os responsáveis pela medida, de “asfixia dos pequenos jornais regionais e comunitários”, sendo essa medida, responsável pelo “afastamento progressivo dos emigrantes, do contacto com as raízes” e da “perca dos hábitos de leitura”.
Manuel Araújo disse ainda, que “o “Porte Pago” era o principal suporte financeiro que os jornais regionais e das Comunidades possuíam, para levar a cultura e a actualidade regional até junto dos nossos emigrantes”. A terminar disse também, que mesmo estando nós na era digital e das novas tecnologias, “apenas uma pequena percentagem de emigrantes lê jornais na internet”.

in Lusitano de Zurique


CLICK HERE TO SIGNUP FOR HostMonster.COM NOW.

Comentários
  1. Tenho para mim que, uma pessoa como o nosso grande Poeta, Euclides Cavaco merece estar no Yopu Tube e para além disso, pelo que partilho convosco as deliciosas declamações do nosso Poeta no Palácio Galveias em Lisboa no Verão passado:

    Vídeo Parte 1: http://br.youtube.com/watch?v=qsFjSDSJqVw
    Parte 2: http://br.youtube.com/watch?v=5M092J69sAU

    Com os cumprimentos do aboinobrense,

    Félix Vieira

    http://aboimdanobrega.blogspot.com/
    http://formiguinhademarco.blogspot.com/
    http://br.youtube.com/taveiras

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s