APELO – “É urgente que se contratem pelo menos durante algum tempo, exclusivamente artistas portugueses”

Posted: 7 Novembro, 2011 in Arte, Barroso, Música, Música portuguesa, Música, Noticias, Videos, Cinema, Fotografía, Geral,, Noticias, Pedro Barroso

Voltámos a ter artistas – sim também são trabalhadores, também comem e respiram e habitam…- em situação de indigência e total perplexidade e exposição a uma situação para a qual nunca contribuíram.

Solidários compulsivos e requisitados cronicamente para ajuda cívica ao cancro, aos sindicatos em luta, ao reumatismo, ao HIV, à criança que tem de ser operada não sei onde, enfim, a todas a todas as iniciativas de apoio a isto e aquilo, creio que neste momento já precisamos de ser solidários é com “os artistas portugueses”!

Continuam com efeito, a convidar-se para actuações , inclusive em concertos ou eventos com participação ou subsidio de Estado, centenas de artistas estrangeiros. Sem cairmos na cubanização cultural, nem fecharmos os olhos ao mundo, mas conscientes do momento de extrema precariedade no ramo, acho que consumirmos cultura portuguesa é também uma forma de combater a crise e cuidar do que é nosso, protegendo o artista português e divulgando a nossa cultura.

As autarquias representam 80% quando não mais dos nossos contratantes e empregadores. Com os cortes orçamentais obviamente que não podendo cortar nos esgotos nem na agua ou nos serviços públicos essenciais é na Cultura e na Animação Cultural e promoção de concertos e celebrações que obviamente os responsáveis municipais acabam por tentar poupar face aos orçamentos reduzidos. Resultado – quase não há trabalho neste momento para os artistas portugueses!

Este é um estado dramático de coisas que resulta por vezes até na derrota psicológica mais trágica como já diversas vezes tem acontecido. Não poderemos e não deveríamos fazer alguma coisa face a esta situação?

Pede-se a todas as entidades de algum modo promotoras de espectáculo que ouçam este apelo – É urgente que se contratem pelo menos durante algum tempo, exclusivamente artistas portugueses, pois começam a existir casos alarmantes e preocupantes.

Pensem nisto. “Eles” também são pessoas, eles também têm filhos a estudar, rendas para pagar e pratos na mesa. Vazios.

Pedro Barroso – Trovador, o Maestro

Manuel Araujo | 

Comentários
  1. A mensagem é bonita, mas o mundo não funciona assim.
    A cultura portuguesa está em vias de extinção, não no sentido de estar a desaparecer, mas pelo facto de muitos desses “artistas” deixarem de ter trabalho porque o país lhes está a fechar as portas devido à falsa falta de dinheiro.

    Portugal não tem, nunca teve, nem nunca terá falta de dinheiro.
    Tem é uma gestão má, onde são desperdiçados largos milhares de milhões de euros em terrenos baldios abandonados, e pessoas mal aproveitadas.

    Há zonas no mundo onde qualquer se arranca toda e qualquer erva para dar comer a gado.
    Em Portugal gasta-se este dinheiro em herbicidas para acabar com a erva, estes infiltram-se nos sistemas hídricos, e mais tarde é preciso gastar novamente dinheiro em produtos para retirar esses resíduos da água para a tornar boa para o consumo.

    Fazem-se estradas de alcatrão, e depois de feitas, rebentam com o alcatrão para meter canalizações novas por baixo.

    Como estes há muitos mais casos semelhantes.

    Mas voltando ao assunto do artigo, se os artistas são mal aproveitados, parte da culpa vem destes, porque querem participar em eventos “pré-fabricados”, e estes nem sempre existem, e quando existem, não têm uma forma eficaz de contactar muitos destes artistas.

    O que é que quero dizer com isto?
    Existem duas opções óbvias:
    – Cada artista pode criar a sua própria tournée, fazendo espectáculos consecutivos em diversas zonas do país consoante a sua passagem, ou podem criar ou exigir a uma entidade que os representa, que organize-lhes espectáculos.

    No caso da música, é muito bonito ter uma discográfica que nos represente, mas quantas destas agências organizam eventos, em vez de apenas gerir recursos humanos.

    É esta a diferença entre artistas portugueses e estrangeiros, qualquer que seja a área do seu respectivo trabalho.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s