Archive for the ‘Cultura’ Category

Encalhei (como é hábito) no site do jornalista Jorge Correia e deparei com este interessante “manual” para viver “Alto e Bom Som”.

O nosso dia-a-dia é cada vez mais confuso e difícil, sem horizontes claros, mas o Jorge ajuda-nos sem custos, a “viver melhor”.

Obrigado Jorge, começo amanhã…

Muitas pessoas que eu conheço arrastam-se pela vida. Parecem sempre tristes e deprimidas. Parece que já morreram apesar de respirarem.

Um dos principais sintomas é o lamento permanente em que relação a tudo. Nunca mais é fim-de-semana, segunda-feira é o pior dia do mundo, nunca mais chegam as férias, o fim-de-semana foi rápido e não fizemos nada de especial, o tempo nunca é bom, olha está a chover, ou está calor de mais, ou vento, ou porque sim!

Vivem em irritação permanente e irritam os outros. São um aborrecimento montado sobre pernas.

Mas há alternativa: VIVER COM PAIXÂO

image thumb1 10 Passos para Viver Alto e Bom Som

E para isso há um par de dicas que aprendi com Tess Marshall que podem ajudar a dar um choque de paixão para viver a sua vida com coração:

ACORDE E INSPIRE FUNDO

É simples. É grátis. E funciona

Acorde. Espreguice-se e encha os pulmões de ar.

Cheire o ambiente. Cheire o seu dia. É perfeito para carregar o corpo de ar frasco e boa energia

PROCURE SIMPLICIDADE

Em cada momento. A cada passo. O mais simples possível.

Reconheço que sou cada vez mais influenciado pelos minimalistas. Para quê ter vinte relógios, dez fatos, trinta gravatas?

O mesmo se aplica ao telemóvel de última geração, ao tablet, ao computador, ao carro…

Podemos viver francamente mellhor com muito menos. Simplifique-se

SEJA AVENTUREIRO

Atire-se para a frente. Experimente. Experimente tudo. Faça a pergunta chave: “O que fiz eu de novo hoje?”

Vá em frente. Corra a maratona, aprenda russo, fale com desconhecidos no café, inscreva-se num concurso de dança ou de culinária.

Aventure-se

CONHEÇA A SUA TRIBO

É uma das principais formas de nos identificar-nos e de nos motivarmos: Quem são os nossos? Quem é a nossa equipa? A nossa tribo?

É com estes que vamos mudar o mundo. Escolha bem o seu grupo de conspiradores para mudar tudo à sua volta. E funciona!

ABRA-SE A NOVAS OPORTUNIDADES

Sempre de espírito aberto. Ouça todas as propostas. Experimente tudo. E nunca, mas nunca mesmo, feche uma porta antes de ouvir o desafio. Ligue-se às pessoas e olhos e ouvidos alerta. Todos os sentidos em sentinela. Há oportunidades que chegam de pantufas

FAÇA A SUA VIDA FELIZ

Pense positivo. Crie positivo. Acredite.

Se usar isto como lema vai atrair pessoas com ideias e maneiras de fazer positivas. É um estímulo que se multiplica.

CRIE BONS MOMENTOS PARA SI

Preciso de fazer uma lista: estar com amigos, família, boa comida, boa música.

Invista tudo em bons e prazeirosos momentos de vida.

Pense PRAZER!

DESENHE O SEU PRÓPRIO PLANO DE SAÚDE

A saúde é o mais importante de tudo. Mantenha-se saudável. Essa é a prioridade máxima. Desporto, comida equilibrada e bom descanso.

APAIXONE-SE PELA SUA VIDA

Apaixone-se por tudo o que mexe. Pessoas, animais, livros. Tudo o que justificar a sua vida como ser humano. A cultura, o sentido da vida.

VIVA COMO SE FOSSE O ÚLTIMO DIA

Tal como dizia Steve Jobs mantenha-se sempre apaixonado, sempre louco.

A morte é certa mas até lá tem de colocar a sua assinatura na Terra.

Vamos em frente?

Já experimentou  algo de novo, hoje?

Jorge Correia

Jornalista na RTP – Rádio

SÃO JOÃO

Posted: 23 Junho, 2011 in Braga, Cultura, Ferias, Poesia, Porto, Portugal

Celebra-se o São João
A vinte e quatro de Junho
Como manda a tradição
Que nos passou testemunho.

Em muitas localidades
Entre as quais o Porto e Braga
Há grandes festividades
Que o tempo jamais apaga.

Alhos-porros e martelos
São seculares tradições
Com galhofantes duelos
Que distraem multidões.

Há rusgas e bailaricos
Folia e sardinha assada
E compram-se manjericos
Para dar à namorada.

Existem outros lugares
Onde há marchas e fogueiras
Que nos Santos populares
São comuns e rotineiras.

É assim a tradição
Festiva e cultural
Dedicada a São João
Em terras de Portugal.


Euclides Cavaco

Precisa-se de matéria prima para construir um País

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres.

Agora dizemos que Sócrates não serve.

E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.

Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.

O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro.

Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos… e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país: (mais…)

Chefe Silva, em entrevista ao Terras do Tomem, não esconde o fascínio por Amares, Caldelas… e pelas papas de sarrabulho.

Baluarte da gastronomia portuguesa, e de forma particular do Minho e de Amares, Chefe Silva promete não faltar a um dos eventos que mais o cativa. Com Caldelas e Amares no coração, aceitou responder a algumas perguntas do jornal Terras do Homem e desvendar sugestões para as boas Papas de Sarrabulho. Um prato que recomenda para qualquer ementa de luxo.

 

Terras do Homem: Como se encontra actualmente e como ocupa o seu dia-a-dia?

Chefe Silva: Estou bem. O meu dia-a-dia, actualmente, passo-o aqui no quintal e também no sofá a ver televisão. Fiz um ‘check-up’ ultimamente e estava tudo em ordem, só que a médica achou que eu devia fazer mais movimento e beber mais água. Fiz-lhe a vontade, agora caminho mais e bebo mais água, mas vinho também… [risos] Continuo a bebê-lo à refeição. Beber moderadamente não faz mal a ninguém e sabe bem…

TH: É verdade que o chefe estudou para ser padre?

CS: É verdade, queriam-me obrigar mas eu não tinha vocação, o que eu gostava mesmo era de mulheres. Vim embora e depois fui para as obras.

TH: Trabalhou na construção civil?

CS: Sim, fui trabalhar para as obras, e depois trabalhei como ajudante de ferreiro em Caldelas e por fim, acabei por ser cozinheiro, mas não era isso que eu queria ser… na verdade, o que eu queria ser era empregado de mesa, para andar limpinho e de lacinho ao pescoço. [risos]

TH: Depois de tantos anos a cozinhar, ainda cozinha?

CS: Agora já não cozinho para mim, mas eu ensino à empregada como se faz e ela cozinha bem…

TH: O IX Festival das Papas em Amares é já na próxima semana. Vai estar presente?

CS: É claro que sim, estarei lá com todo o gosto, se Deus quiser.

TH: Qual é o segredo para umas boas Papas de Sarrabulho?

CS: Umas boas papas não têm segredos. Têm isso sim, técnica.

TH: E pode dizer algo sobre essa técnica?

CS: Basicamente, as papas são sangue, carne do porco, galinha e vaca. Mas um dos ingredientes que não pode faltar é o ‘osso da assuã’. Com estes ingredientes, fazem-se as melhores papas.

TH: O que distingue as Papas de Amares em relação às outras?

CS: As papas em Amares, Braga e Baixo Minho são feitas com pão de trigo. Já no Alto Minho e no Porto, são feitas com farinha de milho. Mas de ambas as formas são muito boas.

TH: Há quem se queixe que as Papas de Sarrabulho são muito pesadas ou indigestas. Porquê?

CS: Não acredito nisso, só se forem comidas em demasia. Todas as comidas que dizem que “fazem mal”, se forem comidas por pessoas saudáveis e com moderação, são saudáveis. Todos sabemos que quase tudo em excesso faz mal…

TH: Recomendaria Papas de Sarrabulho para a ementa de um hotel de luxo?

CS: Sim, é claro que recomendaria e as papas devem ser promovidas e apresentadas em todo o lado.

TH: Em Caldelas, sua terra natal, também existe o hábito de se comerem papas de sarrabulho?

CS: É claro que sim, muita gente as faz e muito bem. Hoje já não se mata o porco, mas as pessoas encomendam os ingredientes no talho para as fazerem em casa.

TH: O que representa para si o Minho?

CS: [risos] O Minho é metade da minha alma e metade do meu coração. No Minho como muito bem, tal como em muitos locais do país, mas o Minho é sempre o Minho… É ao Minho que vou pelo Natal, pelos Santos, pela Páscoa e sempre que posso. É a minha terra. O Minho e a sua gente está sempre no meu coração, mas Amares e Caldelas nem se fala… devo confessar, que o que eu gostava mesmo, era de viver o resto da minha vida em Caldelas.

TH: E o que é que o impede?

CS: [silêncio] Sei lá… é aqui que tenho os meus filhos e aqui é a vida deles, estou dividido…

 

Manuel Araújo

 

_____________________________________________________

Receita do Chefe Silva para as Papas de Sarrabulho

 

Cozer carne de vaca, galinha velha, osso da assuã e presunto.

Juntar 1 ou 2 cravinhos, uma cebola pequena, louro, salsa e sal.

Depois, retirar as carnes e desfiá-las.

Logo que possa, coar o caldo e juntar pão de trigo cortado à mão, em pedacinhos. Mexer bem até ficar com a consistência de uma sopa forte.

Juntar o sangue de porco cozido, esfarelado previamente num “passe-vite” e temperar com cominhos, sumo de limão e pimenta.

As quantidades devem ficar ao critério de cada um, porque nem todo o pão é igual.

 

Sempre Natal

O Natal não é somente
Celebrar solenemente
A data mais conhecida
Natal é qualquer momento
De amor e sentimento
Que ilumina a nossa vida.

É o dar sem receber
É no coração conter
Dimensão de caridade
É dar esmola ao mendigo
Ajudar os sem abrigo
Com franca fraternidade.

Natal é pró ser humano
Qualquer altura do ano
Em que visita um doente
Quando aos fracos dá a mão
E aos tristes em solidão
Ou conforta alguém ausente.

Natal é a força maior
A grande lição de amor
Que Cristo nos veio trazer
Sem grandes filosofias
Natal é todos os dias
Quando o queiramos fazer !…

Euclides Cavaco

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desde o Outono vêem-se anúncios alegóricos à quadra natalícia, apelando ao consumo nas rádios, nos jornais, na TV e também as montras estão desde há muito decoradas. Quando o dia de Natal chega, já todos estamos fartos de ouvir falar dele…

Recordo que o Natal, foi em tempos um dia da festa da família, principalmente das crianças que preparavam ao pormenor a feitura do presépio para comemorar o nascimento de Jesus. No Minho a noite de consoada era aguardada impacientemente por todos. A família juntava-se à lareira, jogava-se “ao rapa”, preparavam-se os pinhões, contavam-se histórias e anedotas. À ceia, era servido o tradicional bacalhau cozido com couve galega, o arroz de polvo, os formigos, as rabanadas e a aletria. A ceia, era acompanhada pelo vinho verde, pela jeropiga e vinho do Porto. À meia noite ia-se à “Missa do Galo”, onde era frequente lá encontrar alguns homens  já “bem bebidos”. Os presentes deixados durante a noite pelo “Menino Jesus” junto à lareira, eram invariavelmente peças de roupa e eram abertos pelas crianças só na manhã seguinte com grande alegria. O Natal das crianças de hoje, é o dia das prendas do “Pai Natal, da Popota e da Leopoldina” e elas não se contentam só com roupa… os tempos mudaram e as prendas agora são outras; são computadores, telefones, Jogos etc. A nossa sociedade, nos tempos que correm, de moderação, de crise e até de fome, deixam-se infantilmente embalar pelo agressivo e constante apelo ao consumo e esquecem até o significado do Natal.

Sendo o Natal para as crianças o esperado “dia das prendas”, para muitos adultos é também uma oportunidade para se mostrar e fazer ver à sociedade o seu lado “bonzinho”, organizando festas de Natal de “solidariedade”, oferecendo sorrisos,  tendo sempre a especial atenção, de ter órgãos de Comunicação Social por perto.

O Natal, salvo raras excepções é, para algumas pessoas e até instituições, uma oportunidade hipócrita e cínica de mostrar a sua “generosidade” sazonal, expondo e humilhando mediaticamente, gente pobre, triste, envergonhada e até esfomeada, que só gostaria de passar despercebida ou não estar ali.

Em certa parte devido ao desaparecimento de um familiar no dia de Natal quando eu era criança e mais tarde, por ter sido protagonista num grave acidente, deixei de apreciar este dia.

Hoje que sou adulto, ainda é pior devido ao que o Natal se transformou e é actualmente, ou seja, um negócio. O Natal hoje, é apelo ao consumo e ao lucro, à vaidade dos “beneméritos” de ocasião, que só agora reparam nos cadenciados. Deixei há muito de gostar do Natal pela simples razão que é nesta quadra que todos fingem ser bonzinhos e é quando se nota mais o feroz apelo ao consumo supérfluo e ao desperdício. Tudo isto associado a uma grande hipocrisia e cinismo de algumas pessoas e instituições.

Questiono-me porque é só no Natal que se lembram de “banquetear” (humilhar) e de ser “bonzinhos” com os pobres desgraçados, oferecendo-lhes migalhas, expondo-os mediatamente, com o intuito de se autopromover tendo sempre a especial atenção de ter algum órgão de comunicação social por perto.

Faço votos, para que a farsa desta quadra passe depressa e possamos viver o Natal todos os dias do ano…

Manuel Araújo

foto:© Manuel araújo

Significado de Apreender

v. t.
1. capturar algo ou alguém: apreender a mercadoria; apreender os ladrões
2. captar, compreender: apreender as explicações

Definição de Apreender (mais…)

O Acordo vai nu?

Blue Ocean by Eduardo Mourato

Para aqueles que não entenderam: (mais…)

Quem não recordará para sempre as "Conversas da Treta"?

Depois de ano e meio a lutar contra o cancro no pâncreas, António Feio morreu cerca da meia-noite de ontem, no Hospital da Luz, em Lisboa, onde estava internado desde quarta-feira. O funeral realiza-se amanhã.

Por todos os momentos de alegria e boa disposição que nos deste ao longo da tua vida, obrigado!

Música, animação, comes e bebes e boa disposição estão desde já garantidos, na primeira edição do Castro Galaico Festival de Nogueiró- Música e Tradição que decorrerá a 16 e 17 de Julho.

Quim Barreiros lançou mais um CD bem ao seu estilo, provocador e brejeiro quanto baste, desta vez dedicado ao polémico “casamento gay”.

Acusado por várias associações activistas de “homofóbico e discriminatório”, Quim Barreiros lembra que é um parodiante e, como tal, com a canção “Casamento Gay” não pretende ofender ninguém, muito menos os homossexuais, que diz respeitar e com os quais lida “há 40 anos”.

Em entrevista ao CM diz ainda que o “meio artístico está recheado de homossexuais” e que as reacções à sua “cantiguinha até têm sido simpáticas”.

Quem não gostou foi o actor gay Victor de Sousa, que assume-se a favor do casamento entre homossexuais, mas não gosta de ver homens vestidos de noiva porque, diz, “é retroceder em vez de avançar”. Sobre o tema do Quim Barreiros, diz que “é omofóbico, ordinário e sem graça”.

Ricardo Dias, Mário Laginha, Rui Veloso, António Victorino de Almeida, Janita Salomé, Vitorino, Amélia Muge, Carlos Bica, Sérgio  Godinho e José Mário Branco são os responsáveis por músicas para palavras escritas, entre outros, por Fernando Pessoa, Manuel Alegre, Júlio Pomar e Carlos Tê. Eles são alguns dos músicos e poetas cujos universos de algum modo se cruzam com as preocupações de qualidade musical e poética de Cristina Branco.

Cristina Branco nasceu em a 30 de Setembro de 1982. Começou a cantar em espectáculos aos onze anos de idade. Gravou o primeiro disco aos dezasseis e lançou recentemente o seu décimo disco. Chama-se “Kronos”.  Está em digressão pelo estrangeiro a apresentar o seu novo trabalho e numa pausa, acedeu falar connosco…

Manuel Araújo

Está em digressão pelo estrangeiro. Actua só para as nossas
comunidades?

É óbvio que não, isso seria limitar o espectro da nossa cultura e da nossa língua. A intenção é passar uma mensagem de orgulho e evolução relativamente ao nosso país e isso não se confina à comunidade portuguesa no estrangeiro, além do mais, desde o meu início, sempre (mais…)

De fato, este meu ato refere-se à não-aceitação deste pato com vista a assassinar a Língua Portuguesa.

Por isso… por não aceitar este pato… também não vou aceitar ir a esse almoço para comer um arroz de pato…

A esta ora está úmido lá fora… por isso, de fato lá terei de vestir um fato…

Concordas com o modo de escrever acima exemplificado?
Se não concordares, clica na imagem que se segue e assina:


Assine a Petição

—————-
Now playing: Pedro Barroso – Sou Português, sou diferente
via FoxyTunes

1. Em 1988, há 20 anos, quando Cavaco Silva, então primeiro-ministro, Salgueiro Maia decidiu requerer uma pensão por causa dos “serviços excepcionais e relevantes prestados ao país”. Refira-se que Salgueiro Maia foi o responsável pela rendição de Marcelo Caetano no Quartel do Carmo. A pensão foi-lhe recusada…

2. Três anos mais tarde, o mesmo Cavaco Silva concordou com a atribuição de pensões a dois ex-inspectores da PIDE, tendo um dos quais, estado envolvido nos disparos sobre a multidão concentrada à porta da sede daquela polícia política, na Rua António Maria Cardoso, durante a Revolução de 25 de Abril de 1974.

3. Hoje 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o Presidente da República Cavaco Silva, no âmbito das comemorações do 10 de Junho, homenageia em Santarém, Salgueiro Maia…

Porquê só agora? Reconhecimento do erro, ou eleitoralismo?

“DIA DA RAÇA”

—————-
Listening to: Pedro Barroso – Carnaval
via FoxyTunes

Barack Obama não quer a divulgação de fotografias de militares americanos a maltratarem prisioneiros.

No mês passado, o Pentágono tinha decidido divulgar novas imagens mas o Presidente americano afirmou que não se sentia confortável com a divulgação das fotos porque poderiam por as tropas norte-americanas ainda no terreno em perigo

As imagens que Obama não quer mostrar, podem ser vistas aqui:

Página 1

Página 2

Página 3

Aviso: imagens chocantes!

zurich_1980_noiteUm português que trabalhou, viveu, cumpriu com todos os deveres fiscais e sociais durante muitos anos, adoeceu e foi expulso da Suíça.

Adriano Campos não tem família na Suíça e padece de uma doença do foro neurológico e é também portador do vírus da Sida.

As autoridades sanitárias internaram-no numa clínica e castraram-no sem autorização.

Devido aos elevados custos do internamento e do tratamento, foi acompanhado até ao aeroporto de Lisboa e aí abandonado à sua sorte.

As autoridades portuguesas na Suíça, aparentemente nada fizeram, mas a Comunidade portuguesa ali residente está revoltada e vai pedir explicações à Secretaria de Estado das Comunidades e ajuda aos grandes órgãos de Comunicação Social.

A rádio portuguesa “Espaço Português” de Zurique dedicou hoje um “Fórum” a este caso. Algumas intervenções podem ser escutadas aqui: radio_lora_2009-04-04%2015.21.43.mp3

O Conselheiro das Comunidades Manuel Beja, vai brevemente a Lisboa protestar perante o Secretário de Estado António Braga.

amrPor ocasião do lançamento do novo trabalho dos UHF, conversamos com António Manuel Ribeiro, fundador do grupo de rock mais antigo de Portugal, que durante décadas, muito tem contribuído para a Cultura musical de qualidade do nosso pais. O primeiro concerto do grupo foi no dia 20 de Novembro de 1978 e desde então, segundo ele tem continuado sempre activos e “ligados à corrente”.

Êxitos como Rua do Carmo, Cavalos de Corrida, Jorge Morreu, Foge Comigo Maria, A Lágrima Caiu, Sarajevo, Menina Estás à Janela e tantos, tantos outros, são músicas que todos conhecem. Agora de uma só assentada, Manuel António Ribeiro junta-lhe um DVD e um duplo CD, que se intitula “Absolutamente ao Vivo”. Mas nesta conversa, foi ainda abordada a actualidade social e política do Mundo onde vivemos, onde faz críticas e aponta soluções…

Manuel Araújo

António, quando vai ser apresentado o vosso novo trabalho?

António Manuel Ribeiro – O DVD “Absolutamente ao Vivo” dos UHF é colocado à venda no próximo dia 16 de Março. Em simultâneo a banda sonora será editada num duplo CD, constituindo o nosso terceiro disco ao vivo. (mais…)

se-votassem_2

Depois disto, “quem gosta do Tony Carreira continuará a gostar e quem não gosta, tem aqui mais uma razão para o detestar”

O Tony Carreira, foi recentemente acusado, de alegadamente plagiar alguns êxitos, ele “faz anos” esta semana a 30 de Dezembro – Feliz Aniversário Tony!

Convém dizer que não tenho nada de pessoal contra o Tony, ou qualquer outro “artista” na mesma situação, só não gosto de [supostamente] me sentir enganado.

Fonte: “Contemporâneos”

Clique, veja, escute e compare

(mais…)

Tal como nos aniversários, (que dizem) não “ser bom” formular os desejos antecipadamente, faço-o hoje, no próprio dia…

Desculpem-me o desabafo, mas além de pessoalmente não apreciar este agressivo espírito natalício, em grande parte hipócrita e falso, e se pensa no lucro, se apela ao consumo, às vaidades do beneméritos sazonais que só agora reparam nos mais carenciados, faço votos, para que o “espírito” desta quadra passe depressa, para podermos continuar a viver o natal todos os dias do ano… BOAS FESTAS!

Enxame de Meteoros das Gemínidas

Em Dezembro a Terra cruza a órbita do Asteróide Faetonte e são os “detritos” largados por este asteróide os responsáveis pelo enxame de estrelas que decorre anualmente entre 7 e 17 de Dezembro, sendo os dias 13 e 14 os de maior intensidade. (mais…)

Um amigo suíço, quer separar-se (amigavelmente) da sua companheira de fins de semana, uma “casinha” situada no paraíso do Torrão.
Como “uma imagem vale mais do que mil palavras”, é melhor ver…

(mais…)

Jorge Resende foi despedido após denunciar alegado caso de pedofilia e diz agora que tentaram silenciá-lo com “muito dinheiro”…

Actualização em 11 de Setembro 2008 (vídeo)

(mais…)

Foi com surpresa que tomamos conhecimento pela comunicação social, do pensamento da presidência da Câmara de Amares, o qual rejeita o teor do “abaixo-assinado”, que visa a resolução do problema dos cães abandonados no Concelho de Amares. [VER]

O presidente da Câmara afirmou, que “estão a ser ultimados alguns preparativos que podem dentro em breve dar luz verde a este projecto”, e sem avançar datas, fala uma vez mais, na construção do “canil/gatil intermunicipal”, que não é mais, que a repetição do que vem afirmado desde 2002, o que lamentamos. (mais…)