Archive for the ‘Política’ Category

Projecto Animais de Rua

A Animais de Rua celebra hoje os 7000 animais esterilizados!

Hoje é um dia especial para a Animais de Rua, que não podíamos deixar de partilhar com todos os nossos amigos. Hoje, o contador de esterilizações (que todos podem acompanhar na página inicial do nosso website) marca 7000 animais esterilizados!

Aqui fica a nossa profunda gratidão a todas as pessoas que tornaram possível esta mudança extraordinária nas vidas de 7000 animais do nosso país: aos voluntários que dedicam o seu tempo livre, faça sol ou chuva, a capturar e a cuidar dos animais, a toda a equipa do back-office que trabalha incansavelmente na parte administrativa da associação, aos veterinários que realizam as cirurgias a custo reduzido, aos padrinhos que financiam as esterilizações, às empresas que apoiam o nosso trabalho, às autarquias que cooperam connosco e a todos os nosso apoiantes, que estão sempre ao nosso lado, a comemorar as nossas vitórias e ajudar-nos a superar as situações difíceis com que nos vamos deparando. Sem todos e cada um de vocês, não estaríamos a celebrar este marco tão importante para a história da AdR. Muito obrigada a todos!

Animais de Rua no programa Sociedade Civil!

No âmbito das iniciativas do Ano Europeu do Voluntariado, a Animais de Rua foi convidada para participar no Sociedade Civil. Quem não teve oportunidade de assistir ao programa, poderá ver o vídeo da nossa participação na secção de Comunicação Social do nosso website:http://www.animaisderua.org/comunicacao_social

Novos Núcleos de Faro e Sintra precisam muito de voluntários!

Outra notícia que muito nos orgulhamos de vos transmitir é a abertura de dois novos Núcleos, que irão operar nas zonas de Sintra e Faro. São duas localidades onde existe uma necessidade muito urgente da nossa intervenção, com inúmeras colónias e animais de rua a precisar de ajuda. Precisamos, com muita urgência, de voluntários para estes dois novos núcleos. Se reside na zona de Sintra ou Faro, por favor considere dedicar algum do seu tempo livre a esta causa! Há muitas formas de ajudar: capturas, boleias dos animais para as clínicas, pós-operatórios, campanhas e trabalhos administrativos. Para mais informações, por favor contacte: geral@animaisderua.org

Se reside na zona de actuação de um dos outros Núcleos (Porto, Lisboa ou Lagos), contacte-nos também! Todos os núcleos precisam muito de voluntários para conseguirem chegar a mais animais em risco.

Campanha de lançamento de moedas na fonte do MAR Shopping continua!

Quando for ao IKEA de Matosinhos ou ao MAR Shopping, não se esqueça de lançar uma (ou várias! :)) moeda na fonte da entrada principal do MAR Shopping. Todas as moedas lançadas à fonte são doadas à Animais de rua!

Número Solidário Animais de Rua!

Por menos de 1€, poderá ajudar a Animais de Rua, ligando para o 760 300 161 (0,60€ + IVA). Se fizer uma chamada por semana, estará a dar um contributo precioso ao nosso programa de esterilizações.

Muito obrigada!

A equipa da Animais de Rua

 

Associação Animais de Rua — Esterilização e Protecção de Animais em Risco
http://www.animaisderua.org/
geral@animaisderua.org

ILC contra o Acordo Ortográfico

Colabore com a nossa Causa.

Pode organizar recolhas de assinaturas?

Envie email para receber conjunto de ficheiros para recolha de assinaturas múltiplas (com impresso de 14 assinaturas por página): click AQUI.

 

Os “cozinheiros” do anedótico Acordo:


Precisa-se de matéria prima para construir um País

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres.

Agora dizemos que Sócrates não serve.

E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.

Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.

O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro.

Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos… e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país: (mais…)

Este é o teor de um e-mail acabado de receber e que se espera seja lido pelo maior número de pessoas possível e deverá ser reencaminhado e divulgado.
Estamos cansados, vamos abrir os olhos. O rumo actual terá de ser outro. Todos os governantes de Portugal falam em cortes de despesas, mas quem está a pagar são sempre os mesmos.
Manifestemo-nos todos, principalmente os que não tem emprego nem rendimentos, porque habitualmente os que se manifestam, são os que ainda tem emprego.

 


Nenhum governante fala em:

1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas, etc.) dos três Presidentes da República retirados;

2. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do pagode; (mais…)

É um excelente filme de mais de duas horas, que foca temas actuais do mundo em crise global, frágil e semi-parilisado em que vivemos. Um mundo cheio de guerras,  fome, ganância, lucro, suborno, corrupção, droga, poluição, degradação do ambiente, pobreza, desemprego, epidemias, abusos dos direitos humanos, desigualdade e crime, que o Zeitgeist aponta, como sendo alguns dos factores para o resultado desta paralisia.

Não perca a oportunidade e veja este vídeo até ao fim…

Por Pedro Barroso
E POR MAIS cinco anos, crispado Silva viverá seu esgar altivo de glória financeira mal explicada… eleito por 1/4 dos eleitores nacionais!
Percebesteis? Vamos lá a ver. Então eu explico melhor o que sinto. 

A democracia vale pela expressão do voto. Claro. Que, por sua vez, reflecte um sentimento perante a conjuntura actual e a sensibilidade popular aos candidatos, suas propostas, ideias e as eventuais mudanças que signifiquem.

Nesta conjuntura, apesar das acusações que ficam por explicar – e todos aguardamos que isso aconteça…- Cavaco é legitimamente eleito, sem espinhas. Nem outra coisa eu esperava, sinceramente.
Mas as pessoas que não saíram a voto são metade dos portugueses. E trezentas mil ainda votaram branco ou nulo.

Não gosto de abstenção, nem me revejo nela; tal como duvido da eficácia politica do voto branco ou nulo.
Mas sinto que isso significa o descrédito duma classe politica que tem os mesmos protagonistas há quase 40 anos. Um cansaço.

Alegre, curiosamente tal como se sentia ab initio, foi prejudicado – na 1ª vez por não ter o PS consigo; e desta vez por ter o PS consigo.
Porque há cansaço deste PS. Autismo mesmo, face à revolta montante do povo e ao paleio cansativo dos “tais sacrifícios” eternos. Sem dar exemplo.

Alegre perde por, como eu próprio lho disse, ninguém poder querer ser e não ser ao mesmo tempo. Devia reformar-se e pronto. Cumpriu o seu papel. É um histórico, fica histórico. Ninguém lhe roubará o “canto e as armas” nem o seu lugar de qualidade na “praça da canção”. Para mim, já deitara tudo a perder quando teve um milhão e cinquenta mil votos e fundou uma coisa que não era partido, nem ninguém percebeu muito bem o que fosse. Chamada MIC, ainda por cima; nome a meio caminho entre a esferográfica barata e a sempre indesejável micose.

Procurar eludir o espantástico de uma união entre o BE e o PS actual, é também uma forma de se reformar da análise politica por sério problema de dioptrias. Este PS contem em si o toque de Midas, só que ao contrário – tudo o que toque definha, empobrece e desaparece.

Nobre revelou que ser outsider compensa; mas ficou com uma vitória “moral”. Vale o que vale. E a falar em público falta-lhe alma, audácia, panache, fascínio, grito, ardor, não sei… Se o homem fosse artista e tivesse à sua frente público para seduzir, o pessoal adormecia.

Ganhou humanidade e força com o andamento da campanha. No fim… estava pronto a começar. Mas é obviamente um vencedor.

O discurso-revolta tipo motorista de táxi cristaliza no Coelho. Mas atenção nele. O homem fala como o povo na rua entende; e tem muito mais valor do que aparentava. Deram-lhe o estatuto de indigente mental e acabou como um dos grandes vencedores da noite. E ganhar no Funchal ao Jardim não é para todos.

O Dr. Moura deu a descasca que se tinha proposto dar no Aníbal e nela se cumpriu. Nada mais o pareceu interessar muito e ressentiu-se disso.

Digno, discreto, omisso. Esteve lá? Valeu a pena?

O Lopes é o candidato do PC e levou 7%. Tudo normal. Viva o PCP, punho erguido, avante camaradas, e etc etc. “Fixou eleitorado, confirmou alternativa, dignificou os democratas” etc.

Já sabemos todos. Viva. Chega.

Conclusão:
Cavaco ganha bem; porque, de certo modo, não havia alternativas.

Cavaco ganha mal; porque, na realidade, perde meio milhão.

E porque nunca nenhum “já Presidente” foi reeleito por tão pouca margem.

Já agora, para ficarmos todos amigos, convinha agora que nos explicasse os 140%, a casa de luxo de cuja escritura não se lembra, e as amizades sujas que o estornicam cada vez que se mexe no BPN.

in Sorumbático

CAVACO E A SUA SOMBRA NEGRA

Posted: 25 Janeiro, 2011 in Cavaco, Política, Policia

“Para Cavaco o português comum é julgado nos tribunais enquanto os políticos são julgados em eleições, como se os eleitores tivessem sido empossados no estatuto de juízes.

Ao apostar na vitória numa primeira volta Cavaco pretendeu retomar o estatuto de presidente no pressuposto de que com a cobertura da dignidade institucional do cargo põe fim ao escrutínio da regularidade dos seus negócios. Vivemos num país em que são os cargos que dignificam as pessoas e não estas que dignificam os cargos…”

continue a ler em: “Dar À Tramela”


Sempre Natal

O Natal não é somente
Celebrar solenemente
A data mais conhecida
Natal é qualquer momento
De amor e sentimento
Que ilumina a nossa vida.

É o dar sem receber
É no coração conter
Dimensão de caridade
É dar esmola ao mendigo
Ajudar os sem abrigo
Com franca fraternidade.

Natal é pró ser humano
Qualquer altura do ano
Em que visita um doente
Quando aos fracos dá a mão
E aos tristes em solidão
Ou conforta alguém ausente.

Natal é a força maior
A grande lição de amor
Que Cristo nos veio trazer
Sem grandes filosofias
Natal é todos os dias
Quando o queiramos fazer !…

Euclides Cavaco

 

Foram tomadas medidas draconianas esta semana em Portugal pelo Governo liberal de José Sócrates, um caso de um outro governo de centro-direita pedindo ao povo Português para fazer sacrifícios, um apelo repetido vezes sem fim a esta nação trabalhadora, sofredora, historicamente deslizando cada vez mais para o atoleiro da miséria. E não é por eles serem portugueses.

Vá ao Luxemburgo, que lidera todos os indicadores sócio-económicos, e você vai descobrir que doze por cento da população é portuguesa, o povo que construiu um império que se estendia por quatro continentes e que controlava o litoral africano desde Ceuta, na costa atlântica, ao longo da costa africana até ao Cabo da Boa Esperança, a costa oriental da África, no Oceano Índico, o Mar Arábico, o Golfo da Pérsia, a costa ocidental da Índia e Sri Lanka. E foi o primeiro povo europeu a chegar ao Japão… e Austrália.

Esta semana, o Primeiro Ministro José Sócrates lançou uma nova onda dos seus pacotes de austeridade, corte de salários e aumento do IVA, mais medidas cosméticas tomadas num clima de política de laboratório por académicos arrogantes e altivos desprovidos de qualquer contacto com o mundo real, um esteio na classe política elitista Portuguêsa no Partido Social Democrata e Partido Socialista, gangrenas de má gestão política que têm assolado o país desde os anos 80.

O objectivo? Para reduzir o défice. Por quê? Porque a União Europeia assim o diz. Mas é só a UE? Não, não é. O maravilhoso sistema em que a União Europeia deixou-se a ser sugado é aquele em que a agências de Ratings, Fitch, Moody’s e Standard and Poor’s, baseadas nos Estados Unidos da América (onde havia de ser?) virtual e fisicamente controlam as políticas fiscais, económicas e sociais dos Estados-Membros da União Europeia através da atribuição das notações de crédito.

Com amigos como estes organismos, e Bruxelas, quem precisa de inimigos? Sejamos honestos. A União Europeia é o resultado de um pacto forjado por uma França tremente e com medo, apavorada com a Alemanha depois que suas tropas invadiram seu território três vezes em setenta anos, tomando Paris com facilidade, não só uma vez mas duas vezes, e por uma astuta Alemanha ansiosa para se reinventar após os anos de pesadelo de Hitler. A França tem a agricultura, a Alemanha ficou com os mercados para a sua indústria.

E Portugal? Olhem para as marcas de automóveis novos conduzidos por motoristas particulares para transportar exércitos de “assessores” (estes parecem ser imunes a cortes de gastos) e adivinhem de qual país eles vêm? Não, eles não são Peugeot, Citroen ou Renault. Eles são Mercedes e BMWs. Topo-de-gama, é claro. (mais…)

Significado de Apreender

v. t.
1. capturar algo ou alguém: apreender a mercadoria; apreender os ladrões
2. captar, compreender: apreender as explicações

Definição de Apreender (mais…)

O Acordo vai nu?


Por favor ajude-nos a divulgar a Petição «Pela abolição das touradas e de todos os espectáculos com touros».

A melhor maneira de o fazer é informar os seus amigos que ela existe.

Envie um email rápido aos seus amigos.

Abaixo existe um texto que pode copiar e colar na sua própria mensagem de email, para ajudar a divulgar a petição «Pela abolição das touradas e de todos os espectáculos com touros»:

Para divulgar, «Copiar e Colar» o texto abaixo no seu próprio email e enviar aos seus contactos.
————————————————————————————————

Caros Amigos,

Acabei de ler e assinar a petição online: «Pela abolição das touradas e de todos os espectáculos com touros»

http://www.peticaopublica.com/?pi=010BASTA

Eu pessoalmente concordo com esta petição e acho que também podes concordar.

Subscreve a petição e divulga-a pelos teus contactos.

Obrigado,
Manuel Araújo

————————————————————————————-
Todos devemos ajudar a promover a Petição, e agora é a sua vez.

O poder da Internet está nas suas mãos!

O País perdeu a inteligência e a consciência moral.

Os costumes estão dissolvidos e os caracteres corrompidos.

A prática da vida tem por única direcção a conveniência.

Não há princípio que não seja desmentido, nem instituição que não seja escarnecida.

Ninguém se respeita. Não existe nenhuma solidariedade entre os cidadãos.

Já se não crê na honestidade dos homens públicos.

A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia.

O povo está na miséria. Os serviços públicos vão abandonados a uma rotina dormente.

O desprezo pelas ideias aumenta em cada dia. Vivemos todos ao acaso.

Perfeita, absoluta indiferença de cima a baixo! Todo o viver espiritual, intelectual, parado.

O tédio invadiu as almas. A mocidade arrasta-se, envelhecida, das mesas das secretarias para as mesas dos cafés.

A ruína económica cresce, cresce, cresce… O comércio definha, A indústria enfraquece. O salário diminui. A renda diminui.

O Estado é considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo.

Não, não foi ninguém vivo actualmente, que escreveu isto. Foi  Eça de Queirós há mais de 100 anos!

Caramba, como é possível repetir sempre os mesmos erros?

Mesmo assim, Viva a República!

O órgão comunitário acaba de aprovar a declaração “sobre a ausência de um processo transparente e o conteúdo potencialmente censurável” do Acordo Comercial de Combate à Contrafacção (ACTA), destinado a criar um tratado internacional contra a pirataria. (mais…)

ANTÓNIO SOARES E NUNO MIGUEL MAIA *

Entre 1999 e 2002, o histórico do PSD Duarte Lima auferiu oficialmente 394 mil euros. Na sua declaração de património não há referência a 5,2 milhões de euros que, em 2001, foram transferidos para as suas contas pela cliente milionária assassinada no Brasil.

De acordo com documentos consultados pelo JN no Tribunal Constitucional, o ex-líder parlamentar do PSD e advogado agora alvo das atenções da Polícia brasileira por causa da morte de Rosalina Ribeiro, a 7 de Dezembro (mais…)

Des millions reçoivent volontairement des doses de vaccins en injection ou par aérosol sans connaître leurs composants dangereux. Ils contiennent, variant selon le fabricant, de nombreux adjuvants, stabilisants, neutralisants, agents porteurs et conservateurs dont :

(mais…)


https://araujo.files.wordpress.com/2008/11/pedro_b.jpg
Por Pedro Barroso

O NUNO MELO era o mais bonito e o mais exportável. Preparou muito bem os dossiers e defendeu-se bem nos debates. Gostei muito. E ofendeu e atacou selvaticamente o Constâncio, pessoa de quem não gosto nada, nem do penteado. Claro que aqueles senhores, antes católicos, hoje populares, apesar de terem tirado o Freitas da galeria, são muito antigos. E são contra o aborto, a eutanásia e outras decisões assim, cujas eu indefectivelmente defendo, em nome da liberdade de escolha. Gente de bem. Jeans e blazer, agora sem gravata. O Portas é o mais directo no discurso, sem dúvida. E quando diz aquilo do sustentar quem não quer trabalhar, quem pode discordar dele? A grande e melhor oposição, se existiu, foi dele. Sem espinhas. Mas toda aquela populice me cheira a peixaria contratada. E como ainda não sei se a Katia Vanessa ficou grávida ou não desde aquele passeio que demos a Cacilhas… não me convém. Desconfiemos.

Portanto, então não. Fica à espera.

O Louçã é um rapaz muito alto e inteligente e explica tudo muito bem, mesmo quando não percebo nada e os outros também não, mas fazem de conta que sim. Eu, sinceramente, até me apetece votar no rapaz, porque se vê logo que é uma sumidade. Pena não deixar falar o Tomé, ter trucidado a divertidíssima e inefável UDP e, sobretudo, ser contra as touradas. Chiça, mas alguém no Ribatejo aguenta uma parvoíce destas? O único espectáculo público em que o árbitro não pode ser comprado? O gozo que eu tenho a ver sair um touro! A festa, as cortesias, os cavalos, os forcados, a cor, a imprevisibilidade. A Arte! O perigo! A adrenalina! Não. Assim também não. Há qualquer coisa de monge nele que me desagrada. E aquela mania do casamento gay e de combater a depressão das carpas nas barragens, por obstrução ao livre trajecto do seu percurso sexual natural… Ná! Sou gajo. Gosto de gajas. Estou-me nas tintas para a vida sexual das carpas e gosto de touradas.

Por aqui, nesse caso, visto isto, estamos conversados.

Vejamos então o que nos falta. (mais…)

De fato, este meu ato refere-se à não-aceitação deste pato com vista a assassinar a Língua Portuguesa.

Por isso… por não aceitar este pato… também não vou aceitar ir a esse almoço para comer um arroz de pato…

A esta ora está úmido lá fora… por isso, de fato lá terei de vestir um fato…

Concordas com o modo de escrever acima exemplificado?
Se não concordares, clica na imagem que se segue e assina:


Assine a Petição

—————-
Now playing: Pedro Barroso – Sou Português, sou diferente
via FoxyTunes

1. Em 1988, há 20 anos, quando Cavaco Silva, então primeiro-ministro, Salgueiro Maia decidiu requerer uma pensão por causa dos “serviços excepcionais e relevantes prestados ao país”. Refira-se que Salgueiro Maia foi o responsável pela rendição de Marcelo Caetano no Quartel do Carmo. A pensão foi-lhe recusada…

2. Três anos mais tarde, o mesmo Cavaco Silva concordou com a atribuição de pensões a dois ex-inspectores da PIDE, tendo um dos quais, estado envolvido nos disparos sobre a multidão concentrada à porta da sede daquela polícia política, na Rua António Maria Cardoso, durante a Revolução de 25 de Abril de 1974.

3. Hoje 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o Presidente da República Cavaco Silva, no âmbito das comemorações do 10 de Junho, homenageia em Santarém, Salgueiro Maia…

Porquê só agora? Reconhecimento do erro, ou eleitoralismo?

“DIA DA RAÇA”

—————-
Listening to: Pedro Barroso – Carnaval
via FoxyTunes

—————-
Now playing: Various_SARL_Funchal
via FoxyTunes

O Sr. Bastonário poderá até nem ser bom profissional e poderá até ter cometido erros, mas uma coisa é certa; Portugal precisa de pessoas com coragem, frontais e directas como ele.
Já agora, para a MMG aqui fica o código, que ela não respeita e que acho que também não conhece:
Código Deontológico dos Jornalistas Portugueses
Os jornalistas portugueses regem-se por um Código Deontológico que aprovaram em 4 de Maio de 1993, numa consulta que abrangeu todos os profissionais detentores de Carteira Profissional. O texto do projecto havia sido preliminarmente discutido e aprovado em Assembleia Geral realizada em 22 de Março de 1993. (mais…)

Barack Obama não quer a divulgação de fotografias de militares americanos a maltratarem prisioneiros.

No mês passado, o Pentágono tinha decidido divulgar novas imagens mas o Presidente americano afirmou que não se sentia confortável com a divulgação das fotos porque poderiam por as tropas norte-americanas ainda no terreno em perigo

As imagens que Obama não quer mostrar, podem ser vistas aqui:

Página 1

Página 2

Página 3

Aviso: imagens chocantes!


A festa foi bonita pá mas tu agora
voltas ao mesmo sítio onde estiveste
voltas à mesma rua à mesma casa
voltas ao mesmo copo que bebeste

E o mundo que sonhaste foi andando
o sonho de justiça e a fantasia
que ardemos toda a noite em fogo brando
terá que se enfrentar com o dia a dia

Mas há uma coisa enorme que ficou:
(e é nela que teces o amanhã
que deste frente a frente resultou)
a vontade de viver outra verdade
a vontade de acordar noutra manhã

A festa foi bonita pá mas tu agora
voltas ao mesmo leito onde dormiste
e apesar do sabor que nos deixamos
o termos que partir é sempre triste

O mundo que sonhamos está tão longe
mas tudo o que esta noite se viveu
garante que afinal pode ser hoje
o mundo que se sonha e se esqueceu

Mas há uma coisa enorme que ficou:
(e é nela que teces o amanhã
que deste frente a frente resultou)
a vontade de viver outra verdade
a vontade de acordar noutra manhã

Pedro Barroso* (in CD “Criticamente”, Lusogram, 1999)

* Site oficial

nota2

nota11